PÚBLICO E PACIENTES

Degenerescência Macular Relacionada com a Idade (DMI)

O QUE É a degenerescência macular relacionada com a idade (DMI)?

A Degenerescência Macular Relacionada com a Idade (DMI), na sua forma mais grave, a exsudativa ou húmida, caracteriza-se pelo crescimento de vasos sanguíneos anormais atrás da retina, também chamados de membrana neovascular coroideia ou neovasos coroideus que provocam o aparecimento na retina, edema e hemorragia. Sem a realização de um tratamento, a grande maioria dos pacientes desenvolve uma cicatriz no centro da mácula e sofre uma grave perda de visão. As pessoas afetadas nos dois olhos não conseguem ler, costurar ou conduzir e têm enormes dificuldades nas suas atividades diárias. Sentem-se altamente limitadas para realizar tarefas tão rotineiras como ver as horas ou marcar um número de telefone. Calcula-se que em Portugal surgem, todos os anos, cerca de 2500 a 3000 novos casos desta doença.

SINTOMAS

Na DMI. existe uma lesão da mácula, uma pequena área no fundo do olho que permite ver claramente pequenos detalhes. Quando a mácula não funciona de maneira correta, o paciente não pode, por exemplo, ler, conduzir ou identificar corretamente uma face.

A degenerescência macular da idade por si só não resulta em cegueira total, embora reduza a visão na parte central da retina, não prejudica a visão lateral, ou periférica do olho. O paciente pode ver o contorno de um relógio, mas não consegue ver a hora.

CAUSAS

O que é que provoca a DMI relacionada com a idade?

Fatores genéticos e fatores ambientais estão associados à origem desta doença. Ter um histórico familiar de DMI, o tabaco ou uma alimentação pobre em vegetais e peixe são apontados como fatores de risco aumentado.

TIPOS MAIS COMUNS DE DMI

Existem dois tipos mais comuns de DMI: a forma atrófica e a forma exsudativa.

DMI ATRÓFICA:

A maioria das pessoas apresentam DMI atrófica. Esta representa 80 a 90% de todos os casos de DMI e é responsável por cerca de 10 a 20% de todos os casos de perda acentuada de visão. A perda de visão costuma ser lenta.

DMI EXSUDATIVA:

A DMI exsudativa representa apenas 10 a 20% de todos os casos de DMI. É responsável por 80 a 90% dos casos de perda acentuada de visão. Resulta da formação de novos vasos sanguíneos no fundo do olho (neovasos). Estes novos vasos sanguíneos derramam fluído ou sangue e provocam a perda da visão de pormenor, como por exemplo, ver TV ou distinguir rostos. A perda de visão pode ser rápida e grave.

Fig.2

SINTOMAS

Quais são os sintomas DMI?

A DMI atrófica ou seca pode ficar quase impercetível para o paciente durante muitos anos ou pode mesmo não apresentar sintomas. A forma exsudativa é muito mais grave. O paciente pode notar imagens distorcidas e perder a visão de leitura num dos olhos em poucos dias. Quando ambos os olhos estão afetados, a perda de visão central pode ser verificada mais rapidamente.

Como é que o paciente pode detetar a perda de visão? A Grelha de Amsler 
– no centro da visão aparece uma área escura ou vazia;
– as linhas retas parecem tortas, como no diafragma abaixo:

GRELHA DE AMSLER

Teste a visão com a grelha de Amsler:
Poderá testar a sua visão todos os dias usando uma grelha Amsler como a que se vê abaixo. Poderá verificar mudanças na sua visão que seriam impercetíveis de outra maneira. Coloque a grelha na porta do frigorífico e faça o teste diariamente, sobretudo se tem mais de 65 anos ou se o seu médico recomendou que o fizesse.

Para usar a grelha Amsler:

– Coloque os seus óculos de leitura e segure esta grelha à distância de 30-45 centímetros, com boa iluminação.
– Tape um olho. Olhe diretamente para o ponto no centro com o olho descoberto.
– Enquanto olha diretamente para o ponto no centro, repare se todas as linhas da grade são retas ou se alguma área parece torta, embaçada ou escura. Repita este procedimento com o outro olho.
– Se alguma área da grelha parece ondulada, embaçada ou escura, entre em contacto com o seu oftalmologista imediatamente.

Fig.4

DIAGNÓSTICO

Como é que é diagnosticada DMI?

Muitas pessoas não sabem que têm qualquer problema macular até que a visão distorcida ou com uma sombra que não desaparece do campo central de visão se tornam evidentes.

O seu oftalmologista pode detetar os primeiros sinais de DMI durante a consulta, através de:
– Observação da mácula com um oftalmoscópio;
– Um teste muito simples com uma grelha quadriculada;
– Exames complementares, tais como o OCT ou angiografia para localizar os vasos sanguíneos anormais por baixo da retina. Um ou dois corantes fluorescentes (fluoresceína e indocianina verde) são injetados numa veia do braço e efetuam-se fotografias à medida que o corante passa pelos vasos sanguíneos no fundo do olho.

 

CONTACTOS

COIMBRA

Espaço Médico de Coimbra
Rua Câmara Pestana, n.º 35-37
3030-163 Coimbra, Portugal

Tel.: +351 239 484 348 /Tlm: +351 966 320 022
Fax: +351 239 481 487

E-mail: emc@oftalmologia.co.pt

AVEIRO

Rufino Silva – Clínica Oftalmológica
Av. Lourenço Peixinho, Nº 177-179, 2º andar
3800 – 167 – Aveiro

Tlf.: +351 234 382 847

Tlm.: +351 918 644 767

E-mail: aveiro@oftalmologia.co.pt

FORMULÁRIO

    Insira o código: captcha

    FORMULÁRIO

      Insira o código: captcha

      COIMBRA

      Espaço Médico de Coimbra
      Rua Câmara Pestana, n.º 35-37
      3030-163 Coimbra, Portugal

      Tel.: +351 239 484 348 /Tlm: +351 966 320 022
      Fax: +351 239 481 487

      E-mail: emc@oftalmologia.co.pt

      AVEIRO

      Rufino Silva – Clínica Oftalmológica
      Av. Lourenço Peixinho, Nº 177-179, 2º andar
      3800 – 167 – Aveiro

      Tlf.: +351 234 382 847
      Tlm.: +351 918 644 767

      E-mail: aveiro@oftalmologia.co.pt

      FORMULÁRIO

        Insira o código: captcha

        COIMBRA

        Espaço Médico de Coimbra
        Rua Câmara Pestana, n.º 35-37
        3030-163 Coimbra, Portugal

        Tel.: +351 239 484 348 /Tlm: +351 966 320 022
        Fax: +351 239 481 487

        E-mail: emc@oftalmologia.co.pt

        AVEIRO

        Rufino Silva – Clínica Oftalmológica
        Av. Lourenço Peixinho, Nº 177-179, 2º andar
        3800 – 167 – Aveiro

        Tlf.: +351 234 382 847
        Tlm.: +351 918 644 767

        E-mail: aveiro@oftalmologia.co.pt